(21)2245-6085 - WhatsApp (21)96530-4354 - faleconosco@espacoartedecurar.com.br
Mostrando os lugares marcados com: moxa

Você sabe para que serve a Ventosa?

Ventosa de vidro-2 A Ventosaterapia é um tratamento complementar da medicina oriental onde através da sucção de áreas da pele ou pontos de Acupuntura fortalece e dá resistência contra as doenças e promove a circulação além de ajudar a aliviar os sintomas de várias doenças. Elas estimularão o sistema energético e promovendo assim o equilíbrio.

Há registros sobre o uso da ventosa no antigo Egito, daí podemos afirmar que a sua utilização é muito remota. Ela também é citada nos escritos gregos a.C.

Os antigos barbeiros cirurgiões e praticantes da medicina da Idade Média também aplicavam ventosas em seus pacientes, pois a consideravam indicada na cura de todas as doenças. Por muito tempo a ventosa foi considerada o antibiótico primitivo.

A aplicação de ventosas em áreas do corpo em conjunto com a Acupuntura e/ou Moxaterapia aumenta o resultado terapêutico. Atuando na desintoxicação do organismo a ventosa torna sangue mais limpo e melhora a sua qualidade.

A ventosa atua no interior do corpo, incentivando o corpo procurar o seu equilíbrio. Ajuda o organismo manter sua energia para evitando a instalação da doença. O seu uso constante mantém a saúde, assim como as terapias orientais de maneira geral.

A Ventosaterapia pode aliviar os seguintes sintomas: resfriados, tosse, gripe, bronquite, pneumonia, cólica, soluços, indigestão, enxaqueca, insônia, artrite, reumatismo, tensão muscular, lombalgia, torcicolo, bursite etc.

Após alguns segundos da aplicação da ventosa, pode ser vista através da transparência do copo, uma mancha avermelhada ou arroxeada, dependendo do caso podem aparecer manchas de diferentes tonalidades.

As principais reações são: - Reação Pigmentar - Sonolência - Agravamento dos sintomas.

Quando nos utilizamos da aplicação de ventosas em um paciente pela primeira vez, devemos evitar provocar estímulos de reação muito fortes. Usamos no máximo de 5 a 6 copos dirigidos à área e usar baixa pressão de sucção. Quando sabemos o grau de reação do paciente ao tratamento, utilizamos técnicas mais avançadas.

A ocorrência de sonolência após o uso de ventosas é uma reação considerada normal durante a operação. Mas se ela se tornar muito severa, paramos imediatamente a aplicação, e recomeçamos após 10 minutos, usando pouca pressão. A reação de fadiga é uma ocorrência comum.

Quando tratamos doenças crônicas com ventosas, o paciente pode mostrar sinais de piora por até dois dias após o tratamento, para logo depois se recobrar, é a chamada reação de agravamento. Esta reação é muitas vezes inevitável e esta resposta do corpo deve ser tomada como um processo normal de reação. Portanto, o paciente deve ser avisado o que pode ocorrer.

Pessoas com anemia podem não apresentar a resposta pigmentar, mas, independente desta resposta, estão sofrendo adaptações, portanto o tratamento deve ser continuado

Devemos sempre prestar muita atenção ao grau de incômodo ou dor provocado pela sucção da ventosa aplicada no paciente. Esta sensibilidade serve de guia afinal cada paciente é um indivíduo único.

Se, no dia seguinte, alguma parte do corpo ficou sensível ou dolorida após a aplicação das ventosas (reação muito comum nos casos de dor, reumatismo e insolação), não há necessidade de manter restrições, podemos reaplicar ventosas sem contraindicações. Neste caso, use ventosas diminuindo o período de tempo de aplicação.

Em doenças muito graves ao invés de aparecer à resposta pigmentar, podem ocasionalmente se formar bolhas como se a pele tivesse sido queimada. Esta reação é a típica reação da retirada de elementos tóxicos do sangue.

Atualmente as ventosas mais comuns no mercado são:

Ventosa de vidro Ventosa de vidro

Ventosa de acrílico kit_copos_3-4-5-200x280

Saiba mais

O que é o Shiatsu?

shiatsu-massagem O Shiatsu é um dos recursos da medicina oriental e é utilizado no reequilíbrio energético do corpo, visando tanto o tratamento clínico geral, o tratamento localizado da dor, o relaxamento e, o mais importante, a preservação do equilíbrio energético no organismo, que é o tratamento preventivo. Esta técnica, juntamente com a Acupuntura, a Moxa e a Fitoterapia, entre outras técnicas, formam a base da Medicina Tradicional Oriental. Na China antiga, de onde surgiu a base do Shiatsu e de muitas outras terapias. A Medicina Tradicional Oriental está inserida na filosofia desse povo, fazendo parte de um contexto onde estão incluídos arquitetura, arte, culinária, religião etc., permitindo que a prática dessa medicina se mantivesse durante séculos sendo utilizada basicamente da mesma maneira. Ainda não se tem uma data que assegure o início da Medicina Tradicional Oriental, mas sabe-se com certeza que ela iniciou-se há pelo menos 2.500 a.C., pois há relatos dessa no texto médico mais antigo e respeitado o Huang Ti Nei Ching Su Wen - O livro do Imperador Amarelo. O livro é escrito em forma de diálogo entre Huang Ti (o Imperador) e Ch'i Po (seu ministro) onde são abordados diversos assuntos com relação à filosofia e a prática Médica Chinesa. Nele são descritos, no Livro IV, os diferentes métodos de tratamentos e as prescrições adequadas onde Ch’i Po esclarece que as pessoas das regiões do centro comem vários tipos de alimentos e o trabalho não as esgota. As suas doenças são muitas: padecem de paralisia total e arrepios e febres, doenças que são muito eficazmente tratadas por meio de exercícios respiratórios, massagens na pele e na carne e exercícios de mãos e pés. Assim, podemos verificar que o tratamento através da massagem sempre foi uma das formas de tratamento Médico Oriental, juntamente com a Acupuntura, Moxabustão e Fitoterapia. Existem poucos e raros relatos sobre esta prática e esses abrangem, muitas vezes, exercícios respiratórios e físicos, tais como, Chi Gong e Tai Chi Chuan. Apesar disso, acredita-se que a massagem nos fluxos energéticos precedeu a Acupuntura, esta sim, possui vários relatos a respeito. A Anmo chegou ao Japão onde recebeu nome de Anma, de onde foi desenvolvido o Shiatsu, que diferentemente das outras técnicas, trabalha com os dedos sobre os meridianos, desbloqueando ou estimulando a energia, fazendo com que ela siga o seu fluxo correto. Existem várias escolas de Shiatsu, cada qual com o seu estilo, mas todas com o mesmo objetivo, cuidar do ser humano, despertando nele a sua capacidade de autocura.

Saiba mais

Acupuntura – Uma terapia surpreendente

Acupuntura A acupuntura costuma surpreender os pacientes, pois o nosso diagnóstico e a forma que vemos e tratamos o paciente difere bastante das outras formas de terapias, principalmente as ocidentais. Começando na primeira consulta onde buscamos o diagnóstico na visão oriental, baseados em relatos profundos da pessoa, desde o seu nascimento, como se alimenta, as suas emoções, convívio social, dentre outros. Verificamos também o pulso e a língua, fundamentais no tratamento. A partir daí, selecionamos os pontos e a metodologia de tratamento, podemos também utilizar recursos complementares, tais como: Moxa (utilização de calor através da erva artemísia), Ventosa (sucção da pele através de pequenos potes) e Shiatsu.

As agulhas são inseridas e deixadas no local, manipulando-as regularmente para estimular a Ki (energia que percorre os seres vivos, segundo a visão oriental), por isso pedimos ao paciente que não se alimente imediatamente antes da sessão ou que não esteja faminto. Após alcançado o objetivo, retiramos as agulhas.
Nas sessões seguintes, normalmente após uma semana, fazemos a evolução do tratamento, analisamos o pulso e a língua e a melhora alcançada, caso seja necessário, alteramos os pontos e a técnica utilizada, que não eram possíveis na sessão inicial, devido ao estado do paciente. Estas sessões duram em torno de 1 hora, de acordo com o paciente e, ao final da consulta, ele sabe que por todo esse período foi ouvido e que cuidamos dele e não de sua queixa. Por isso ele fica surpreendido, surpreendido e feliz.

Saiba mais