(21)2245-6085 - WhatsApp (21)96530-4354 - faleconosco@espacoartedecurar.com.br
Mostrando os lugares marcados com: medicina chinesa

Acupuntura – Arte milenar de cura

acupuntura-abdome

A Acupuntura vem se destacando no mundo ocidental pelos brilhantes efeitos  ocasionados por ela, mas o que é a Acupuntura? Bem, em uma explicação simples podemos dizer: é uma técnica onde, com o estímulo de determinados pontos da superfície da pele, através de agulhas especiais, permite que o organismo exerça a sua capacidade de autocura.

Mas, o que isto quer dizer? Dentro da concepção chinesa não existe doença e sim um desequilíbrio energético e a Acupuntura é uma das formas de readquirir a harmonia perdida. Com isso podemos tratar várias manifestações ocasionadas por nossa vida moderna, eis algumas: enxaqueca, gastrite, stress, indisposição, distúrbios hormonais, insônia, asma, bronquite, distúrbios menstruais (inclusive cólicas), enjoos (inclusive da gravidez), paralisia facial, sinusite, rinite, gripe, resfriado, incontinência urinária. Auxilia, ainda, no tratamento de viciados em álcool e drogas. Isto sem falar no que as pessoas mais costumam associa-la: dores do aparelho musculoesquelético (coluna, joelho, ombro etc.).

Quanto mais recente o desequilíbrio, melhor e mais rápida a possibilidade de resolvê-lo. A Acupuntura é, essencialmente, preventiva por isso é importante a sua utilização antes que o desequilíbrio se manifeste em sua plenitude, isto é, sabemos que estamos bem, mas, ainda não há sintomas definidos, naquela fase do mal estar.

A Acupuntura é perfeita, pode se associar a diversos outros tratamentos – homeopatia, fisioterapia, alopatia – sem que perca o seu efeito.

banner blog -gestão de consultório

Muitas pessoas temem a Acupuntura, pois associam a inserção da agulha com a dor, o que, na grande maioria das vezes não ocorre. Normalmente o que acontece é uma sensação de “choque” quando da colocação da agulha, passando logo a seguir.

Ela é isenta de efeitos colaterais, algumas pessoas sentem-se sonolentas e relaxadas após a sessão. Existem casos raros de piora dos sintomas seguida pela melhoria da condição.

Muitos estudos ainda estão sendo feitos com relação a esta Arte de Curar para que possamos entender os seus efeitos segundo a nossa lógica ocidental, mas uma coisa podemos afirmar, é uma terapia que auxilia na cura de nosso corpo e mente.

Saiba mais

Menopausa, como a Acupuntura pode ajudar

Atendi esta paciente pela primeira vez em 1997 com Shiatsu, antes de minha formação em Acupuntura. Nesta época ainda não tinha meu consultório e os meus atendimentos eram em domicílio. No ano 2.000, voltei a atendê-la, desta vez em meu antigo consultório e com Acupuntura, os 2 atendimentos forem para tratar de dor lombar irradiando para a lateral da perna, pois ela é Fisioterapeuta atuante e na profissão as vezes é necessário uma ajuda. Ah sim! Muito importante! Em 1992 eu era paciente dela, minha Fisioterapeuta preferida que cuidou muito bem das minhas dores na cervical e lombar, provenientes de horas trabalhando em frente ao computador.  Bem! Vamos ao tratamento atual. Ela me procurou, pois, há 3 anos, estava na menopausa e transpirava muito encharcando toda a sua roupa e isso, além do incomodo que ela sentia devido ao calor, isto estava atrapalhando os seus atendimentos, causando um certo desconforto para os seus pacientes. Junto com a transpiração também havia alterações de humor (raiva e choro) e piora dos sintomas toda vez que tinha alguma preocupação. Já estava em tratamento com Florais e Homeopatia há algum tempo, mas não tinha obtido resultado. Minha opção de tratamento foi pela Acupuntura e, na primeira sessão, utilizei os pontos: Yintang, P7, IG11, IG4, F3, R3 e BP6 Na segunda sessão a paciente relatou que não percebeu nenhuma melhora dos sintomas. Repeti a mesma sequência de pontos. Na terceira sessão ela informou que teve uma melhora, pois os intervalos de crises estavam maiores e com menos intensidade. Desta vez incluí os pontos B20, B23 e VG4 no tratamento. banner blog - curso agulhamento na dor Durante a quarta sessão, ela contou que estava bem até dois dias antes do tratamento, mas teve uma crise devido a um estresse familiar. Repeti a mesma sequência de pontos da última sessão. No quarto atendimento ela já estava há 3 dias sem grandes crises, os episódios estavam mais suaves e vespertinos. Estava contente, pois as pessoas já percebiam a mudança. Repeti os postos e acrescentei o E36. Ficamos 2 semanas sem tratamento, devido uma impossibilidade minha. No retorno do tratamento ela comentou do efeito da última sessão, estava mais disposta e voltou a correr. Creditou isso ao ponto da última sessão (E36), pois foi a única ação diferente. Expliquei que realmente era este o objetivo e mantive o tratamento da última sessão. Atualmente, após 8 sessões, a paciente está certa que a Acupuntura foi eficaz no seu tratamento, mantendo a transpiração regulada, mesmo quando tem algum tipo de estresse. Fiquem a vontade para comentarem e pedirem ajuda nos seus tratamentos, estou sempre disponível para isso.

Saiba mais

Acupuntura no Tratamento de Tendinite do Cotovelo

acupuntura-cotovelo Paciente com queixa principal tendinite no cotovelo direito, bem localizada e não refletindo para outros locais. A lesão ocorreu devido a um movimento brusco durante a reação a um assalto. Como falei em outro Post, não gosto de descrever meus tratamentos como "casos", pois cuido um ser integral, então não é um caso, é uma pessoa. O assalto havia ocorrido há 4 meses e, desde então, vinha se tratando com gelo e remédio injetável (não soube informar qual). Ele tinha 28 anos na época e a dor ocorria somente durante o movimento. Havia operado as amígdalas e o tendão de aquiles devido a uma torção. não fumava, bebia eventualmente e não era usuário de drogas Iniciei o tratamento com a Acupuntura utilizando os seguintes pontos: ID8 (direito), TA10 (direito), IG11 (direito), ID7 (direito), ID4 (direito), F3, além de pontos Ah Shi da região.  banner blog - curso agulhamento na dor Na segunda sessão o paciente relatou aumento da dor, nos 2 dias seguintes, voltando ao nível inicial no terceiro dia. Repetia a sequência de pontos utilizados na primeira sessão. O paciente informou na terceira sessão que não teve as mesmas dores da primeira vez e estava sentindo melhora no nível da dor. Na quarta sessão o paciente não se queixada de dor no cotovelo, mas apresentava dor no joelho direito, esta surgiu durante um exercício, mas isso é para um outro relato.

Saiba mais

Uma reação diferente no tratamento de Acupuntura

dor no joelho O paciente ligou para saber se a Acupuntura trataria a dor no joelho, respondi que em princípio sim, mas haveria uma avaliação antes de iniciar o tratamento dele. Como falei em outro Post, não gosto de descrever meus tratamentos como "casos", pois cuido um ser integral, então não é um caso, é uma pessoa. No momento da consulta ele relata como queixa principal dor e inchaço no joelho e perna direita. A dor migra entre joelho, tornozelo e 1° dedo (hálux). Relata também ciatalgia (protusão L4/L5) e depressão, além de ser hipertenso e utilizava medicamento, segundo orientação médica. Na época ele tinha 70 anos e era muito ativo. As dores o impediam de jogar basquete com os amigos e caminhava com dificuldade. Passava por um momento que a intolerância predominava nas suas emoções. No momento da sessão estava com a pressão arterial alterada (170x100), mesmo com o medicamento. Diferentemente da maioria dos Acupunturistas, não sou adepto da sangria para baixar a pressão arterial, sempre optei por utilizar técnicas do Shiatsu. Então pressionei com os polegares o R1 simultaneamente por cerca de 3 minutos. Pronto, pressão arterial normalizada (130x80). Iniciei o tratamento com a Acupuntura. Identifiquei um desequilíbrio da energia do Fígado, já que a dor era migratória (vento) e seguia parte do trajeto deste Meridiano, além de apresentar intolerância (irritabilidade). Mas também continha desarmonia no Baço-Pâncreas devido a protusão discal e inchaço. Os principais pontos utilizados foram: Yintang, VC17, F3, IG4. No lado direito apliquei E36, Neixiyan ("olhos do joelho") e Heding. Estes foram utilizados na primeira sessão. No dia seguinte o paciente ligou, pois ele sentiu febre (reação incomum), eu  o orientei com relação aos procedimentos sobre a febre e informei que nunca havia visto um relato desta natureza descrito na literatura. O paciente confiou no que informei e marcou a sessão seguinte. Na segunda sessão o paciente informou que a dor aumentou muito no dia seguinte (reação diferente, mas comum no tratamento de Acupuntura). No terceiro dia a dor do joelho havia passado, mas foi transferida para o pé. No quarto dia estava sem dor, por isso, achou que estava bom e foi ver os carros alegóricos. Ah sim! Estamos no Rio de Janeiro na semana do carnaval. Quem conhece, sabe o tamanho da Av. Presidente Vargas onde ficam os carros alegóricos esperando o desfile. Resumindo, ele andou vários quilômetros e a dor no joelho voltou. Na segunda sessão utilizei os pontos: Yintang, VC17, F3, IG4. No lado direito apliquei E36, Xiyuan ("olhos do joelho"), Heding, BP9, BP5, F4 e E41. Fizemos mais uma sessão repetindo os pontos utilizados na sessão anterior. Passados 4 dias após a segunda sessão, liguei para o paciente para verificar se ele estava bem. O relato foi animador, estava sem nenhuma dor, caminhando normalmente. Atualmente, este paciente retorna anualmente para "bater um papo" e, claro, equilibrar-se energeticamente, pois agora ele sabe o grande efeito que a Acupuntura faz. banner blog - curso agulhamento na dor

Saiba mais