(21)2245-6085 - WhatsApp (21)96530-4354 - faleconosco@espacoartedecurar.com.br
Mostrando os lugares marcados com: medicina chinesa

O poder da combinação de terapias

Foi por indicação de uma terapeuta que esta paciente me procurou, estava com 73 anos há época. Ela relatou que há 2 meses estava com Tendinite no Quadril e inflamação no Nervo Ciático. A dor era pior pela manhã e o ar condicionado fazia com que a dor aumentasse. A dor diminuía com a colocação de bolsa de água quente.  Ela já havia feito tratamento com Tens, Ultrassom e, ao fazer Alongamento, as dores pioraram. Há uma semana fez infiltração onde obteve uma melhora parcial. Fazia Massagem com regularidade, que aliviava, mas não solucionava as dores. A Paciente era Hipertensa, controlada através de medicação, mas era necessário um cuidado maior no atendimento. Devido a gravidade das dores e a idade da paciente, indiquei 2 sessões por semana, o que foi aceito pela paciente. O quadro patológico indicava a necessidade de inserir moxa no tratamento, tendo em vista que as dores pioravam com o frio. Na primeira sessão optei pelos pontos: Taiyang, IG4, F3, VB40, B60, B54(40), B50, B23, VG4, VB30 e Huatores na lombar, inseri a caixa de moxa juntamente coma as agulhas na região lombar. Utilizei também técnicas de Shiatsu após a retirada das agulhas. Na segunda sessão a paciente relatou que sentiu dores ao ficar no ar condicionado, repeti o mesmo tratamento da sessão anterior. Na terceira sessão a paciente estava quase sem dor, mesmo tendo andado muito. Optei em manter o tratamento A paciente estava sem dor na quarta sessão, por este motivo, retirei a moxa do tratamento. Na quinta sessão a paciente não apresentava nenhuma queixa de dor, apliquei o mesmo tratamento da sessão anterior e dei alta a paciente. A aplicação de outras técnicas, além da Acupuntura, (Shiatsu, Moxa, Ventosa etc.) é fundamental para o sucesso dos tratamentos, os resultados alcançados serão muitos mas rápidos e eficazes, por isso amo o que faço, amo ver meus pacientes se recuperando de maneira rápida fazendo com que a a feição da dor se torne a feição da alegria.

Saiba mais

Deixar o paciente roxo com ventosas está errado?

Vários profissionais e alunos me perguntam se deixar o paciente roxo com Ventosas está errado. A minha resposta é sempre - Não, não está errado, mas você pode alcançar os efeitos satisfatórios sem causar roxidão na pele do paciente. Vou explicar melhor. Quando comecei a trabalhar com as terapias orientais utilizava a Ventosa desta maneira, deixando as pacientes todas marcadas, com isso elas não podiam ir a praia. Para uma carioca da zona sul isso é quase que cortar suas pernas. Nós adoramos praia, o local mais social e democrático que temos, adoramos exibir o corpo, idolatramos um corpo  bronzeado. Um fim de semana de sol sem ir a praia é muito sacrifício. Com isso, as pacientes, mesmo com as queixas diminuídas elas não voltavam, pois acreditavam que o benefício alcançado não valia a pena devido ao final de semana perdido, era melhor tomar uma medicação. Tive que criar um método que eu tivesse o mesmo resultado, mas sem as marcas, pois com o sol elas podem marcar a pele para sempre. Comecei a associar a Moxa com a Ventosa, criando um método próprio na aplicação da Ventosa para que não ocorresse manchas ou, se acontecesse, fosse o mínimo possível. Foram anos de tentativas, muitos erros e também muitos acertos até ter uma série de protocolos eficazes para as dores mais comuns em consultório.   Deu certo, tão certo que resolvi compartilhar isso para meus alunos através de um curso. Então criei o primeiro curso associando as técnicas de Moxa e Ventosa e deu muito certo. Vários pacientes são beneficiados com os protocolos ensinados no curso, liberando os desbloqueios existente, sanando a dor e os desconfortos causados pelas atividades do dia a dia. Adoro a Medicina Chinesa e seus recursos, melhor ainda, quando podemos adaptar as técnicas as nossas cultura e realidade, mantendo sempre assim a técnica atual através de sua evolução. Se você gostou deste texto, compartilhe em suas redes sociais. Faça aqui o seu comentário, o que você acha disso?

Saiba mais

Tenho uma perna dormente, tem tratamento?

acupuntura na perna A maioria dos meus pacientes são por indicação e esta não seria diferente, era amiga de 2 outros pacientes. Bem, vamos ao tratamento. Paciente do sexo feminino, na época ela tinha 31 anos de idade, sua principal queixa era dormência na perna direita, com movimentos involuntários há cerca de 1 ano. Todos os exames se apresentavam normais (RX e ressonância). Esta condição ocorria quase todos os dias, associados a respiração ofegante. Já havia realizado sem sucesso tratamento com RPG. Ela tinha alergia a poeira, feijão, leite, soja e derivados. Por passar a sua hora de nascimento, ela nasceu através de cesariana. Vários parentes maternos faleceram por infarto. Não fuma, nunca utilizou drogas, bebe socialmente e é de fácil relacionamento. Estava sempre cansada, principalmente após o almoço, mas melhorava ao final do dia. No primeiro atendimento, optei pelos seguintes pontos: Taiyang, IG4, E36, BP6, B15 e B23. Todos em Tonificação. No atendimento seguinte a paciente relatou que não sentiu cefaleia (note, ela não informou esta queixa na primeira consulta) e que a dormência da perna não tinha sido tão aguda, melhora de 40%. Alterei os pontos para F8, F3, BP6, R3, IG4, Taiyang, B17, B18, B20 B23 e E36. Sempre com a técnica de Tonificação. Na terceira sessão, a paciente informou que está com mais energia e a dormência na perna diminuiu a intensidade e não sente todos os dias. Tonifiquei os pontos para F8, BP6, R3, IG4, Taiyang, B17, B18, B20 B23 e E36. banner blog - curso agulhamento na dor_2 A paciente chegou para a quarta sessão informando que esteve muito gripada, mas sem dormência, no entanto estava muito cansada. Estava com dor nas costas, devido a mudança de residência. Alterei o tratamento para privilegiar a situação de momento. Utilizei os pontos: Taiyang, IG4, P7, BP3, BP6, E36, B17, B15, B134 e B20. Agora a dormência está somente até o joelho, falou animada a paciente na quinta sessão. Como a evolução do tratamento estava boa, a paciente optou por atendimento de Shiatsu. Fiz Shiatsu dando atenção aos Meridianos envolvidos no desequilíbrio energético, ou seja, Fígado e Baço. Após isso esta última sessão a paciente não teve mais os sintomas da sua queixa principal, dormência na perna direita, com movimentos involuntários, mas permaneceu com suas sessões semanais para outros tratamentos, pois ela descobriu que a Acupuntura é muito além da dor.

Saiba mais

Acupuntura no reumatismo – A importância da continuidade do tratamento

dor nos dedos da mão Quem conhece alguém ou tem reumatismo sabe o quanto é uma doença dolorosa. Essa paciente me procurou já no final do ano 2000, na época ele tinha 61 anos e sentia muita dor nos dedos da mão esquerda devido ao reumatismo (já diagnosticado pelo seu médico). Esta dor havia começado há 2 anos e piorou nos últimos 3 meses, evoluindo para o punho e braço, já não conseguia passar o braço para trás. O braço direito também começava a repuxar.

As dores começaram de forma lenta, devagar e foram evoluindo, ela já havia sido tratada com fisioterapia através de Tens, Laser e US, mas apresentou pouca melhora. Falo sempre para os meus alunos, nunca somos a primeira opção. Existe um ritual seguido pela maioria dos pacientes:

Passo 1: Automedicação - afinal fulana tomou isso e ficou boa;

Passo 2: Aciona o plano de saúde - agenda consulta com o médico;

Passo 3: Toma os medicamentos corretos e faz fisioterapia;

Passo 4: Quando os tratamentos não fazem efeito desejado, o paciente procura a Acupuntura como última opção - espera melhorar em uma única aplicação

Foi isso que aconteceu com essa paciente.

Iniciei o tratamento com a Acupuntura, optei começar por pontos locais e com poucos Meridianos. Os pontos iniciais foram: TA14, TA,5, ID1, ID9, ID10, ID11, ID12, ID14 e Jianneiling. Todos do lado esquerdo.

banner blog - moxa

Após a sessão, informei a paciente que poderia acontecer um piora dos sintomas (aumento da dor) e que era uma reação comum no tratamento com a acupuntura. Daí a opção por pontos locais e somente 2 Meridianos.

Na segunda sessão a paciente relatou que ficou "sentindo as agulhas" nos 2 dias seguintes a aplicação, mas não observou melhora nas dores. Repeti o mesmo tratamento da primeira sessão.

Na consulta seguinte, a terceira, ela informou que dessa vez não teve a "sensação das agulhas". O braço esquerdo continuava doendo quando virava. Dessa vez ajustei o tratamento para: BP6, R3, Taiyang, TA5, ID1(E), TA14(E), IG15(E), Jianneiling(E), ID11, ID10, ID12, ID9 e B60.

Na quarta consulta, a paciente contou que "sentiu novamente as agulhas" por 2 dias. O braço continuava doendo. Ajustei novamente o tratamento utilizando os pontos: F3, BP9, R3, Taiyang, TA5, Jianneiling(E), IG14, IG15, TA14, TA13, TA 15 eVB21. Dessa vez puncionei dos 2 lados do corpo.

Quinta sessão, eu esperava um relato de uma ligeira melhora, mas nem tudo é como nós esperamos. A paciente sai da última consulta "sentindo as agulhas", durando até o dia seguinte e, segundo ela, não havia melhorado nada. Evoluí mais ainda o tratamento da seguinte forma:

Pontos do lado esquerdo: ID11, ID9,ID10, TA14, IG15, IG16, Naoshang, P7, P9, P10, Jianneiling e Ashi do braço.

Pontos do lado direito: BP2, BP3 e R3.

Sexta sessão, aguardando uma boa notícia, até então nunca havia tido uma paciente sem resultado algum em mais de 2 consultas. Era tudo novidade para mim! Bem, a notícia não foi boa.... As dores haviam aumentado, ela sentiu diferença, doía quando esticava o braço, sentia repuxar. Diminuí o número de pontos, utilizei: F3, IG4, CS6, Jianneiling(E), IG15(E), IG14(E), B60, ID9, ID10, ID11 e ID12.

Bem, chegamos na sétima, sétima consulta! Agora sim, vamos ter resultado? Que nada, muito pelo contrário, as dores aumentaram e a paciente teve que tomar um remédio. Evoluí mais ainda o tratamento colocando os pontos: F3, IG4, Taiyang, Jianneiling(E), IG14(E) e Ashi no braço esquerdo e também no dedo médio da mão esquerda, B60, ID9(E), ID10(E), ID11(E), IG15(E), TA14(E) e Ashi no ombro esquerdo.

Enfim uma boa notícia na oitava sessão! O Dedo havia melhorado bastante, não tem sentido dor no braço e o ombro e punho esquerdos doíam com menor intensidade. Dessa vez utilizei os pontos: R3, BP3, IG14(E), Jianneiling(E), C7 e Ashi no dedo médio da mão esquerda.

Durante o intervalo da oitava para a nona sessão a paciente fez uma ultrassonografia do braço e, segundo a avaliação do médico, esta melhorando a artrite. A paciente estava sem dores e já efetuava movimentos que não fazia antes. Trabalhei os pontos: F3, C7, IG14(E), Jianneiling(E) e Ashi no dedo médio da mão esquerda. Apliquei moxa no pontos IG14(E), Jianneiling(E).

Na décima sessão a paciente já não apresentava nenhuma dor, mesmo pressionando o local, e também não havia limitação demovimentos. Isso estava ocorrendo desde a saída da ultima sessão. Como reforço apliquei agulha nos pontos:  Taiyang, Jianneiling, IG14, F3 e E36. Pronto a paciente estava de alta.

De longe o tratamento dessa paciente foi o que mais me fez ver como temos que estar sempre nos atualizando, estudando, aprimorando. Procurando sempre alternativas para a melhora do paciente. Temos que ter sempre uma variação de pontos para um mesmo sintoma, afinal os pacientes são indivíduos diferentes e temos que ter formas diferentes de tratá-los.

Saiba mais