(21)2245-6085 - WhatsApp (21)96530-4354 - faleconosco@espacoartedecurar.com.br
Mostrando os lugares marcados com: aldemir chaves

Acupuntura – Arte milenar de cura

acupuntura-abdome

A Acupuntura vem se destacando no mundo ocidental pelos brilhantes efeitos  ocasionados por ela, mas o que é a Acupuntura? Bem, em uma explicação simples podemos dizer: é uma técnica onde, com o estímulo de determinados pontos da superfície da pele, através de agulhas especiais, permite que o organismo exerça a sua capacidade de autocura.

Mas, o que isto quer dizer? Dentro da concepção chinesa não existe doença e sim um desequilíbrio energético e a Acupuntura é uma das formas de readquirir a harmonia perdida. Com isso podemos tratar várias manifestações ocasionadas por nossa vida moderna, eis algumas: enxaqueca, gastrite, stress, indisposição, distúrbios hormonais, insônia, asma, bronquite, distúrbios menstruais (inclusive cólicas), enjoos (inclusive da gravidez), paralisia facial, sinusite, rinite, gripe, resfriado, incontinência urinária. Auxilia, ainda, no tratamento de viciados em álcool e drogas. Isto sem falar no que as pessoas mais costumam associa-la: dores do aparelho musculoesquelético (coluna, joelho, ombro etc.).

Quanto mais recente o desequilíbrio, melhor e mais rápida a possibilidade de resolvê-lo. A Acupuntura é, essencialmente, preventiva por isso é importante a sua utilização antes que o desequilíbrio se manifeste em sua plenitude, isto é, sabemos que estamos bem, mas, ainda não há sintomas definidos, naquela fase do mal estar.

A Acupuntura é perfeita, pode se associar a diversos outros tratamentos – homeopatia, fisioterapia, alopatia – sem que perca o seu efeito.

banner blog -gestão de consultório

Muitas pessoas temem a Acupuntura, pois associam a inserção da agulha com a dor, o que, na grande maioria das vezes não ocorre. Normalmente o que acontece é uma sensação de “choque” quando da colocação da agulha, passando logo a seguir.

Ela é isenta de efeitos colaterais, algumas pessoas sentem-se sonolentas e relaxadas após a sessão. Existem casos raros de piora dos sintomas seguida pela melhoria da condição.

Muitos estudos ainda estão sendo feitos com relação a esta Arte de Curar para que possamos entender os seus efeitos segundo a nossa lógica ocidental, mas uma coisa podemos afirmar, é uma terapia que auxilia na cura de nosso corpo e mente.

Saiba mais

Acupuntura em paciente com depressão

depressão Esta paciente foi uma das primeiras que atendi, isto em 1998, era minha paciente no ambulatório e quando soube que estava finalizando meus estudos e já estava abrindo o meu consultório, ela resolveu me acompanhar. Por isso, não tenho aqui as anotações do início do tratamento, mas vou relatar o período daqui do consultório, cerca de 2 meses depois de iniciado o tratamento. Gosto de ter um relacionamento profissional, mas muito próximo dos meus paciente e alunos, por isso, não gosto de descrever meus tratamentos como “casos”, afinal estamos falando de uma pessoa próxima e que confiou em mim para cuidar dela como um ser integral. Em outubro de 1998 ela tinha 26 anos e a sua queixa principal era Depressão, agravada nos finais de semana, quando perguntei desde quando ela estava assim, a resposta foi "desde sempre". Isso me assustou, afinal ainda não tinha muito experiência na área, por isso, tive que estudar ainda mais que o meu normal. Durante a anamnese relatou que, quando criança, efetuou cirurgias de nariz e garganta e teve catapora. Andou com cerca de 9 meses. Além disso, há 3 anos teve pneumonia e, com 2 anos de idade, herpes no olho direito. A mãe era diabética, apresentava problemas renais e tinha muitas dores nas pernas. O pai era hipertenso. Não fumava e nem utilizava álcool ou drogas. Não teve nenhuma gravidez e não sentia vontade de fazer sexo. A sua menstruação estava irregular (adiantando) e demorava cerca de 7 dias, antes era 5, com dor e coágulos. Era predominante nela um sentimento de culpa, medo e tristeza. Estava sempre cansada, apresentava dormência nas pernas, mãos e pés frios, suava pouco e quando suava era sempre entre os seios. A voz era sempre muito baixa e pele muito branca. O diagnóstico inicial, ainda no ambulatório, foi de Estagnação do Qi do Fígado e Deficiência do Qi do Pulmão, o tratamento foi continuado no consultório,  com as seguintes premissas:

  • Dispersar o Qi do Fígado
  • Regularizar o Qi
  • Tonificar o Qi do Pulmão
Os principais pontos utilizados no tratamento com Acupuntura na paciente foram: P7, P9, F3, E36, C3, R3, B13 B20, B42 (Pohu), BP6 e Yintang. Estes pontos variaram no decorrer do tratamento, conforme a evolução da paciente, utilizei ainda VB40, VC4, VC17, CS6 e a combinação dos pontos VG24 com VB13.
Houve uma melhora significativa após a terceira sessão e após 13 sessões de cuidados com a Acupuntura, a paciente teve alta com 90% de melhora em sua queixa principal. Atualmente ela mora fora do Município do Rio de Janeiro e, sempre que ela vem ao Rio, tomamos um café. banner blog - moxa

Saiba mais

Uma reação diferente no tratamento de Acupuntura

dor no joelho O paciente ligou para saber se a Acupuntura trataria a dor no joelho, respondi que em princípio sim, mas haveria uma avaliação antes de iniciar o tratamento dele. Como falei em outro Post, não gosto de descrever meus tratamentos como "casos", pois cuido um ser integral, então não é um caso, é uma pessoa. No momento da consulta ele relata como queixa principal dor e inchaço no joelho e perna direita. A dor migra entre joelho, tornozelo e 1° dedo (hálux). Relata também ciatalgia (protusão L4/L5) e depressão, além de ser hipertenso e utilizava medicamento, segundo orientação médica. Na época ele tinha 70 anos e era muito ativo. As dores o impediam de jogar basquete com os amigos e caminhava com dificuldade. Passava por um momento que a intolerância predominava nas suas emoções. No momento da sessão estava com a pressão arterial alterada (170x100), mesmo com o medicamento. Diferentemente da maioria dos Acupunturistas, não sou adepto da sangria para baixar a pressão arterial, sempre optei por utilizar técnicas do Shiatsu. Então pressionei com os polegares o R1 simultaneamente por cerca de 3 minutos. Pronto, pressão arterial normalizada (130x80). Iniciei o tratamento com a Acupuntura. Identifiquei um desequilíbrio da energia do Fígado, já que a dor era migratória (vento) e seguia parte do trajeto deste Meridiano, além de apresentar intolerância (irritabilidade). Mas também continha desarmonia no Baço-Pâncreas devido a protusão discal e inchaço. Os principais pontos utilizados foram: Yintang, VC17, F3, IG4. No lado direito apliquei E36, Neixiyan ("olhos do joelho") e Heding. Estes foram utilizados na primeira sessão. Na segunda sessão o paciente informou que a dor aumentou muito no dia seguinte (reação diferente, mas comum no tratamento de Acupuntura). No terceiro dia a dor do joelho havia passado, mas foi transferida para o pé. No quarto dia estava sem dor, por isso, achou que estava bom e foi ver os carros alegóricos. Ah sim! Estamos no Rio de Janeiro na semana do carnaval. Quem conhece, sabe o tamanho da Av. Presidente Vargas onde ficam os carros alegóricos esperando o desfile. Resumindo, ele andou vários quilômetros e a dor no joelho voltou. Na segunda sessão utilizei os pontos: Yintang, VC17, F3, IG4. No lado direito apliquei E36, Xiyuan ("olhos do joelho"), Heding, BP9, BP5, F4 e E41. Passados 4 dias após a segunda sessão, liguei para o paciente para verificar se ele estava bem. O relato foi animador, estava sem nenhuma dor, caminhando normalmente. Atualmente, este paciente retorna anualmente para "bater um papo" e, claro, equilibrar-se energeticamente, pois agora ele sabe o grande efeito que a Acupuntura faz. banner blog - curso agulhamento na dor

Saiba mais

Acupuntura na Ausência de Menstruação

acupuntura e moxa Hoje vou relatar um tratamento efetuado em uma paciente que tinha com a sua queixa principal a ausência de menstruação (amenorreia). Quem me conhece sabe que não gosto de descrever meus tratamentos como "casos", afinal estamos falando de uma pessoa que confiou em você para cuidar dela e, cuidamos dela como um ser integral, então não é um caso, é uma pessoa. Ela tinha na época 26 anos e não menstruava desde os 18, portanto estava há 8 anos sem menstruar. Já fazia tratamento médico com reposição hormonal e cálcio, informou também que já apresentava osteopenia. Ela foi diagnosticada como menopausa precoce. Ela relatou que não efetuou cirurgias, não tinha alergias conhecidas e das doenças infantis teve catapora. Assim como andou e caminhou na época adequada. Nas patologias da família informou apenas hipertensão do avô paterno. Utiliza álcool somente em eventos sociais. O meu diagnóstico foi de Deficiência de Sangue do Fígado, iniciando o tratamento no mesmo dia,  com as seguintes premissas:

  • Tonificar o Sangue e a Essência
  • Tonificar o Baço-Pâncreas e o Rim
  • Tonificar o Qi Pós Celestial
Para isso, utilizei Acupuntura e Moxa e os principais pontos utilizados foram: B18, B17, F8, VC4, B20, B23, R3, R6, E36, BP6, B11, VB39, TA4 e E42. A Moxa foi utilizada, juntamente com a agulha, nos pontos B17, E36, VC4, BP6 e B18. A paciente foi cuidada 1 vez por semana em sessão de 1 hora. Durante o tratamento apresentou ansiedade e acordava durante a noite que foi cuidado com a inserção dos pontos Yintang e CS6. Relatou também que passou a ter aversão ao álcool. Após 5 meses de iniciado o tratamento teve a primeira menstruação, passou a sentir um cansaço e teve alteração na pele, passando a ter espinhas - "parecendo adolescente". O cansaço, a pele e a insônia melhoraram e voltou a menstruar no mês seguinte (6° mês de tratamento), passou a fazer exercícios. No 7° e 8° meses também menstruou. No 9° mês foi quando a menstruação se apresentou de forma mais consistente, neste mês também fez ultrassonografia dos ovários e o do lado direito, que antes era atrofiado, estava agora de aspecto normal.  Após 10 meses de cuidados com a Acupuntura, a paciente teve alta. banner blog - moxa

Saiba mais