(21)2245-6085 - WhatsApp (21)96530-4354 - faleconosco@espacoartedecurar.com.br
Você está visualizando a categoria: Shiatsu

Fascite Plantar, não sabia que o Shiatsu tratava tão bem

Esta paciente veio através de uma promoção do Peixe Urbano, em 2011. Foi a única que fez mais de uma sessão. O seu objetivo era relaxar, mas durante a anamnese relatou Calcificação no Ombro esquerdo e Tendinite nos 2 pés com reflexo na batata da perna, segundo as palavras dela. Esta tendinite havia começado há 2 meses e meio, tendo feito fisioterapia e utilizado medicação sem resultados. A paciente sofria com isso, pois tinha que utilizar sapato alto devido ao seu trabalho e no final do dia sentia muita dor. Pelo histórico anterior dos pacientes do Peixe Urbano, acreditava que a paciente faria somente uma sessão, mas minha missão é sempre proporcionar a melhor experiência para o paciente e procurar sempre eliminar o seu sofrimento, no caso a dor gerada pela Fascite Plantar. Começamos a sessão de Shiatsu, sempre com um ambiente acolhedor, música suave e luz azul para tranquilizar. Fiz o Shiatsu completo trabalhando todos os meridianos. Acrescentei, ainda, Tiger Balm na panturrilha e calcanhar, trabalhando bastante no B60 e R3. Também alonguei a panturrilha enquanto passava a Tiger Balm na região. Dois dias depois a paciente ligou me pegando de surpresa, pois, como falei antes, não era o perfil dos paciente oriundo da promoção. Ela relatou que havia melhorado muito e estava sem dor, o que nunca havia acontecido. Marcamos para a semana seguinte. Na segunda sessão a paciente relatou que passou a semana toda muito bem como há muito não acontecia, só que no dia anterior utilizou um sapato que prejudicou o pé e no dia da sessão estava com dor. Basicamente eu repeti o atendimento, Shiatsu completo com algumas variações e Tiger Balm nos calcanhares e nas panturrilhas. Informo sempre aos meus pacientes que problemas no pé sempre são mais complicados, por um motivo simples, nós andamos e ele, o pé, sustenta o peso do nosso corpo e sempre está se movimentando, não fica estático. Ele somente descansa quando deitamos, mas nos dias de hoje o tempo que ficamos deitados é muito reduzido, sempre estamos repletos de atividades e nunca conseguimos parar. É uma briga desigual, 10 horas em pé por dia contra 1 hora de sessão por semana. As sessões seguintes seguiram o mesmo procedimento, basicamente, Shiatsu e Tiger Balm em todas as sessões, até que, após 2 sessões sem dor, a paciente teve alta.

Saiba mais

Dor lombar… Será que o Shiatsu dá jeito?

shiatsu lombar2

Conheci o Carlos (nome fictício) em uma exposição de fotografia de uma amiga em comum, eu estava iniciando meu novo consultório, agora totalmente sozinho. A exposição era um bar em Botafogo, bairro onde moro no Rio de Janeiro, e também havia uma apresentação de uma banda. O show estava muito agradável e o papo ótimo. Durante a conversa, surgiu o assunto de trabalho. Sempre atento às oportunidades falei que trabalhava com Shiatsu e Acupuntura e dei meu cartão ao Carlos. Aliás, sempre ando com cartão de visitas e recomendo a todos também ter este hábito.

Na semana seguinte, toca o meu celular. Era o Carlos. Estava com uma dor muscular na altura da lombar

A primeira pergunta dele ao ligar e relatar a dor foi: O Shiatsu dá jeito em dor lombar? Não gosto de Acupuntura. Expliquei que o Shiatsu é bastante eficaz nas dores musculares. Satisfeito com a resposta, marcamos o atendimento para o início da noite, pois ele estava no trabalho e tinha que finalizar as suas atividades, pois havia chegado tarde devido a dor.

Durante a anamnese ele informou que havia operado hérnia de disco - L5-S1 - e também hérnia inguinal do lado esquerdo. A dor lombar, sua queixa principal, havia começado logo ao levantar e era somente do lado esquerdo. Queixou-se também de dor no joelho esquerdo, mas vamos falar disso em outro Post.

Iniciei o tratamento com o Shiatsu, fiz a sequência completa, mas focando bastante na lombar e no Meridiano da Bexiga, onde manipulei os pontos locais - do B20 ao B25 - e os pontos B54 e B60. Marcamos para o dia seguinte, para  finalizar o tratamento.

banner blog -gestão de consultório

No dia seguinte Carlos relatou que ainda sentiu um pouco de dor na lombar ao se levantar, mas que ela havia melhorado durante o dia. Desta vez, além da aplicação do Shiatsu e da manipulação dos pontos, utilizei algumas técnicas de manipulação do Seitai na lombar. Ele resolveu marcar mais uma sessão, desta vez para a semana seguinte, pois havia gostado muito da sensação de bem-estar que o Shiatsu havia provocado nele. 

Na terceira sessão, o Carlos relatou que estava sem dores na lombar, não sentia mais nada desde a última sessão, mas optou em continuar a fazer Shiatsu semanalmente, pois a sensação de tranquilidade, paz e bem-estar que Shiatsu provocava nele, era algo que ele nunca tinha sentido antes.

Periodicamente o Carlos volta para "recarregar as baterias" através de uma sessão de Shiatsu.

Saiba mais

A Beleza do Shiatsu no Tratamento da Dor

shiatsu_joelho Esta paciente procurou o Shiatsu por indicação, já se tratava com Acupuntura e também já havia sido atendida com Shiatsu com outros colegas. Sua queixa principal era dor no joelho direito devido a uma calcificação. Isto estava prejudicando muito a sua locomoção, pois não tinha firmeza no caminhar e ficava insegura com isso, apesar de andar de bengala. Ela tinha 71 anos na época e tem joelho Geno Valgo, daí, acredito, que tenha surgido a calcificação. Expliquei que o Shiatsu não melhoraria a sua calcificação, mas que melhoraria a sua dor e daria firmeza em seu caminhar. Expliquei ainda, que existem vários estilos de Shiatsu e que, possivelmente, o estilo que utilizo era diferente de onde ela havia feito. Na primeira sessão apliquei o Shiatsu completo com poucas manipulações, afinal a paciente era idosa e o tratamento seria longo. Na segunda sessão a paciente relatou que achou estranha a última sessão, pois os estilos de Shiatsu que ela havia feito começavam de "barriga para cima" e eu havia começado de "barriga para baixo", além disso, ela sentiu dores no dia seguinte e teve um pouco de arrependimento. Pensou, amanhã vou ligar e desmarcar a próxima consulta! Mas ficou surpresa da maneira que levantou no segundo dia após a sessão. Estava mais ativa! Com mais mobilidade! As dores estavam bem menores! Então percebeu que estava no tratamento certo. Neste dia acrescentei manipulação no joelho direito, tratei os pontos locais E35, E36, Neixiyan e Heding. Na terceira sessão estava bem melhor, relatou que estava com mais flexibilidade, mas a perna ainda "travava", demorava a pegar, só depois de um pouco de movimento ela ficava "normal". Repeti o mesmo tratamento da segunda sessão e acrescentei a "Tiger Balm" no joelho direito.

Quando um paciente me procura para atendimento de Shiatsu, costumo utilizar somente esta técnica, mas em alguns tratamentos de dor utilizo a "Tiger Balm" para potencializar o efeito terapêutico do Shiatsu, o que foi necessário neste tratamento.
A partir da quinta sessão a paciente passou a caminhar com mais segurança, a pisada e o andar estão mais firmes e não tem mais medo de esbarrões na rua, pois já havia caído em função disso. Ah sim! Ela não usa mais bengala. Atualmente ela está de alta do Shiatsu, mas recomendei que fizesse Pilates para manter-se ativa e com firmeza muscular necessária para o seu dia a dia.

Saiba mais

Quando ouvi falar a primeira vez sobre o Shiatsu Expresso

ABRAPP_2009 022 Quando ouvi falar a primeira vez sobre o Shiatsu Expresso questionei o fato de uma massagem com tão pouco tempo de aplicação ser eficaz. Sou Shiatsuterapeuta e trabalho com shiatsu há algum tempo. Até então, considerava esta técnica ideal, achando, inclusive, o tempo de duração da sessão como adequado (cerca de 45 minutos). Naquele momento, a melhor  definição para meus pensamentos era de ceticismo e incredulidade sobre a técnica que estava despontando no mercado. Não acreditava que o Shiatsu Expresso, aplicada em 15 minutos, pudesse relaxar e equilibrar energeticamente. Como eu estava enganado! Que bom, pois graças a esse senso crítico aguçado de minha personalidade, resolvi mergulhar nos estudos sobre o Shiatsu Expresso. Foi pesquisando e realizando cursos que descobri que o Shiatsu Expresso originou-se na Anma e do Shiatsu. A Anma é uma técnica milenar japonesa que, através da pressão, fricção, alongamento, compressão, massagem e estimulação promove a saúde das pessoas. O Shiatsu foi desenvolvido com base na Anma e trabalha sobre os Meridianos, desbloqueando ou estimulando a energia, fazendo com que ela siga o seu fluxo correto e, consequentemente, promova a autocura. O Shiatsu Expresso juntou a tradição dessas duas terapias com a modernidade do nosso dia a dia, buscando atingir os pontos mais tensionados e doloridos do corpo, ou seja, na região das costas, ombros, pescoço e braços. Ela começou a se popularizar em meados dos anos 80, com a sua introdução nos Estados Unidos, e daí para o resto do mundo. Sua proliferação vem acontecendo devido às inúmeras facilidades que o Shiatsu Expresso proporciona, já que temos um dia a dia corrido, e logo, não conseguimos dedicar um momento para relaxar e cuidar de nosso corpo. Tem como principal característica a inovação, uma vez que a massagem é realizada em uma confortável cadeira, especialmente criada para esse fim. Permitindo, inclusive, sua adequação em diversos locais, ampliando a abrangência desta técnica. A pessoa pode ser atendida, em 15 minutos, no próprio local de trabalho, na praia, em eventos ou em suas caminhadas, ou seja, de uma forma acessível. Mas, para que o objetivo seja atingido, é fundamental que se tenha uma sequência onde os principais pontos de tensão sejam trabalhados adequadamente, liberando o fluxo energético dos meridianos manipulados, promovendo assim o relaxamento e o equilíbrio energético. Continuo aperfeiçoando meus conhecimentos a cerca do Shiatsu Expresso mas, confesso, cheguei a uma brilhante conclusão: o Shiatsu Expresso colabora na melhoria da qualidade de vida do ser humano!

Saiba mais