(21)2245-6085 - WhatsApp (21)96530-4354 - faleconosco@espacoartedecurar.com.br
Você está visualizando a categoria: Terapias

Veja as flores

flores amarelas

Por Aldemir Chaves*

A Medicina Oriental (Chinesa) foi concebida na observação do ser humano e a sua harmonia com as leis da natureza, muitas das frases ditas na nossa cultura popular demostra que também a observamos. Quando falamos que "ele está verde de raiva", "ele é um sujeito bilioso", "estou com vontade de comer o fígado de alguém", estamos nos referindo a uma situação que os chineses observaram, associaram a outras - Raiva, Fígado, Vesícula Biliar, Verde, Madeira, Primavera, Vento etc. - e sistematizaram em um método de cura. A Raiva é um sentimento tão bom quanto outro, apesar de ser bastante discriminado. Devemos senti-lo e passar por ele, sem mantê-lo presente em nossas vidas, pois, assim como a irritabilidade e as frustrações, a Raiva é a grande vilã quando permanece em nosso corpo, trazendo conseqüências maléficas para a nossa saúde. Os relatos são diversos - dor de cabeça, enxaquecas, dores migratórias, hipertensão, problemas nos tendões, problemas menstruais etc. - mas todos com a mesma origem: a Raiva, a irritabilidade. Para que estes sintomas não apareçam, devemos buscar a solução na natureza. A Primavera - a estação do elemento Madeira e do Fígado - é o símbolo de início, de renovação, do nascimento das flores, da vida, é a nossa juventude. Por isso devemos buscar alimentos que guardam este tipo de essência - broto de feijão ou bambu, frutas e hortaliças; aves e peixes frescos; temperos como hortelã e cebolinha - além de evitar alimentos gordurosos e álcool. Caso algum desses sintomas relatados seja uma constante no seu dia-a-dia, marque um encontro com o seu terapeuta de medicina oriental - Shiatsu, Acupuntura, Tui Na - que ele saberá a melhor maneira de trazer o ânimo e a saúde de volta, restabelecendo a sua Qualidade de Vida e na Vida.

Saiba mais

Um Toque

Toque

Por Aldemir Chaves*

Muito tem se falado da eficácia, e com razão, das massagens energéticas, tais como Shiatsu, Tui Na, Massagem Ayurvédica etc., mas, pouco se fala do Toque, o Tocar e ser Tocado.  O Toque é o primeiro dos cinco sentidos desenvolvido. Desde o útero, iniciamos o despertar dessa habilidade - já é comprovado que a partir da sétima semana de gestação podemos sentir o Toque. O estímulo na pele é altamente benéfico ao nosso organismo fazendo com que ele funcione em toda a sua plenitude. Durante o trabalho de parto as contrações do útero nos "massageiam" em todo o processo do nascimento. Esse desenvolvimento continua quando o bebê é acariciado pelos pais, principalmente pela mãe, sendo o ato da amamentação um momento mágico: o bebê está com o seu corpo colado ao da mãe, sentindo todo o calor e carinho que é transmitido por ela. Durante todo o nosso desenvolvimento, as demonstrações de carinho e afeto passados pelos nossos pais, através do Toque, permitem que nos sintamos mais seguros, autoconfiantes, fazendo com que nos tornemos seres humanos melhores. Mas, esta nossa vida moderna e agitada nos afasta desse contato, uma vez que o corre-corre do trabalho, estudo, academia etc., não nos deixa tempo para o Toque. O tratamento formal do dia a dia deixa-nos arredios. Quando alguém nos dá um abraço mais carinhoso... ficamos desconfiados... afinal, perdemos o hábito do Toque. As terapias que utilizam o contato físico terapeuta-paciente proporcionam a recuperação desse sentimento, o paciente se sente mais protegido fazendo com que o terapeuta sinta melhor suas reações. Isso é muito importante para o tratamento, possibilitando que o paciente descubra o seu corpo, percebendo todas as suas sensações, a sua tonicidade, rigidez, regiões mais sensíveis que antes não eram sentidas. O Shiatsu proporciona tudo isso, pois, durante a sessão, o contato físico e energético é constante, é uma troca mútua, fazendo com que o shiatsuterapeuta conduza o seu tratamento de forma adequada, de acordo com as reações do paciente, pois cada indivíduo reage de maneira diferente à técnica e cabe ao terapeuta adaptá-la para que o tratamento tenha o resultado esperado.

Saiba mais

As Emoções e a Medicina Oriental

emoções No consultório os nossos pacientes sempre ficam curiosos com a série de perguntas que fazemos, principalmente na primeira consulta, afinal são perguntas bastante incomuns, desde a maneira como eles se relacionam com as pessoas ao tipo de sabor que apreciam, mas tudo isso tem um objetivo. A Medicina Oriental(Chinesa) tem uma linguagem bastante simples e simbólica, pois ela foi toda desenvolvida principalmente através da observação dos antigos mestres e ela vê como uma das principais causas dos desequilíbrios orgânicos às endógenas, ou seja, provocadas pelo próprio organismo, as nossas emoções.

As emoções são naturais em nós seres humanos e é perfeitamente normal e saudável senti-las em sua plenitude, em cada momento especial que passamos, seja a alegria pelo nascimento de um filho, o pesar pela perda de um ente querido, a irritação por alguma injustiça, a preocupação com relação ao futuro ou o medo do pit bull que fugiu do seu dono.
Agora quando uma ou mais delas se exacerbar ou é uma constante em nós, isso acaba ocasionando um desequilíbrio em um do meridianos (vias onde trafegam a energia no nosso corpo), podendo inclusive trazer uma lesão física ao órgão que ele está associado, seja ele o Coração, Pulmão, Fígado, Baço-Pâncreas e o Rim. O tratamento pela medicina oriental de cada uma dessas emoções trazem equilíbrio ao nosso organismo prevenindo uma possível desarmonia e, quando essa já estiver instalada, o retorno do nosso equilíbrio energético.

Saiba mais

Você sabe para que serve a Ventosa?

Ventosa de vidro-2 A Ventosaterapia é um tratamento complementar da medicina oriental onde através da sucção de áreas da pele ou pontos de Acupuntura fortalece e dá resistência contra as doenças e promove a circulação além de ajudar a aliviar os sintomas de várias doenças. Elas estimularão o sistema energético e promovendo assim o equilíbrio.

Há registros sobre o uso da ventosa no antigo Egito, daí podemos afirmar que a sua utilização é muito remota. Ela também é citada nos escritos gregos a.C.

Os antigos barbeiros cirurgiões e praticantes da medicina da Idade Média também aplicavam ventosas em seus pacientes, pois a consideravam indicada na cura de todas as doenças. Por muito tempo a ventosa foi considerada o antibiótico primitivo.

A aplicação de ventosas em áreas do corpo em conjunto com a Acupuntura e/ou Moxaterapia aumenta o resultado terapêutico. Atuando na desintoxicação do organismo a ventosa torna sangue mais limpo e melhora a sua qualidade.

A ventosa atua no interior do corpo, incentivando o corpo procurar o seu equilíbrio. Ajuda o organismo manter sua energia para evitando a instalação da doença. O seu uso constante mantém a saúde, assim como as terapias orientais de maneira geral.

A Ventosaterapia pode aliviar os seguintes sintomas: resfriados, tosse, gripe, bronquite, pneumonia, cólica, soluços, indigestão, enxaqueca, insônia, artrite, reumatismo, tensão muscular, lombalgia, torcicolo, bursite etc.

Após alguns segundos da aplicação da ventosa, pode ser vista através da transparência do copo, uma mancha avermelhada ou arroxeada, dependendo do caso podem aparecer manchas de diferentes tonalidades.

As principais reações são: - Reação Pigmentar - Sonolência - Agravamento dos sintomas.

Quando nos utilizamos da aplicação de ventosas em um paciente pela primeira vez, devemos evitar provocar estímulos de reação muito fortes. Usamos no máximo de 5 a 6 copos dirigidos à área e usar baixa pressão de sucção. Quando sabemos o grau de reação do paciente ao tratamento, utilizamos técnicas mais avançadas.

A ocorrência de sonolência após o uso de ventosas é uma reação considerada normal durante a operação. Mas se ela se tornar muito severa, paramos imediatamente a aplicação, e recomeçamos após 10 minutos, usando pouca pressão. A reação de fadiga é uma ocorrência comum.

Quando tratamos doenças crônicas com ventosas, o paciente pode mostrar sinais de piora por até dois dias após o tratamento, para logo depois se recobrar, é a chamada reação de agravamento. Esta reação é muitas vezes inevitável e esta resposta do corpo deve ser tomada como um processo normal de reação. Portanto, o paciente deve ser avisado o que pode ocorrer.

Pessoas com anemia podem não apresentar a resposta pigmentar, mas, independente desta resposta, estão sofrendo adaptações, portanto o tratamento deve ser continuado

Devemos sempre prestar muita atenção ao grau de incômodo ou dor provocado pela sucção da ventosa aplicada no paciente. Esta sensibilidade serve de guia afinal cada paciente é um indivíduo único.

Se, no dia seguinte, alguma parte do corpo ficou sensível ou dolorida após a aplicação das ventosas (reação muito comum nos casos de dor, reumatismo e insolação), não há necessidade de manter restrições, podemos reaplicar ventosas sem contraindicações. Neste caso, use ventosas diminuindo o período de tempo de aplicação.

Em doenças muito graves ao invés de aparecer à resposta pigmentar, podem ocasionalmente se formar bolhas como se a pele tivesse sido queimada. Esta reação é a típica reação da retirada de elementos tóxicos do sangue.

Atualmente as ventosas mais comuns no mercado são:

Ventosa de vidro Ventosa de vidro

Ventosa de acrílico kit_copos_3-4-5-200x280

Saiba mais